Jeffrey Cross
Jeffrey Cross

Abra o MAKE no Exploratorium, neste sábado

Michelle Hlubinka, Diretora de Educação da MAKE, nos enviou este anúncio sobre o próximo Open MAKE no SF Exploratorium:

Como parte de nossa busca contínua para incentivar mais jovens a exercitar sua curiosidade e criatividade inatas fazendo as coisas, neste sábado, 30 de janeiro, iniciaremos uma colaboração de quatro meses com o Learning Studio, TechShop e Disney-Pixar do Exploratorium. .

Nosso calendário de próximos temas e criadores no Exploratorium: 30 de janeiro: Bristlebots & Blinkybugs - Ken Murphy e Windell Oskay & Lenore Edman 27 de fevereiro: Wearables & Soft Circuitry - Adrian Freed 27 de março: Faça seu próprio tipo de música - Walter Kitundu e Krys Bobrowski 24 de abril: Motores e Mecanismos - Brad Prether e Ernie Fosselius

Cada sábado nos encontramos segue um cronograma simples:

11:00 Dale Dougherty entrevista os criadores do McBean Theatre 12:30 Destaque os criadores e o making-on no chão do museu 3:00 Fim dos eventos

É um primeiro experimento em um novo programa que chamamos de Jovens Criadores, no qual pretendemos criar uma infraestrutura para criar crianças que querem aprender fazendo, além do que podem fazer com kits de construção. Esperamos atender a uma necessidade terrível: satisfazer um pouco do que as lojas costumavam fazer antes de, lamentavelmente, começarem a ser expulsas das escolas. A ideia por trás da Young Makers é criar uma comunidade, tanto on-line quanto física, que reúna crianças com ideias afins, mentores adultos e instalações de fabricação - aqueles que amam construir e aprender fazendo. O papel dos mentores é ajudar os jovens a encontrar uma visão do projeto, se eles ainda não tiverem um, e depois ajudá-los a perceber essa visão. Ao longo do caminho, os mentores exporão os princípios de matemática, ciências e engenharia subjacentes aos projetos, ensinarão o uso e a segurança das ferramentas e, coletivamente, todos os participantes - jovens e mentores - criarão uma cultura colaborativa de inovação e experimentação. O Maker Faire se torna o prazo final e oferece um palco para os projetos resultantes serem exibidos e explicados. Reuniões mensais serão usadas para construir o tipo de cultura colaborativa que acreditamos ser crucial para o programa. Ou seja, uma cultura que abraça o fracasso, encoraja projetos interdisciplinares que misturam matemática, ciência, tecnologia e arte, e uma cultura que é ao mesmo tempo aberta e de mente aberta.

Sentimos que o programa Young Makers se distingue de várias maneiras de outros programas, como competições de robótica e feiras de ciências. Em particular, não há vencedores e perdedores, e os projetos são abertos e orientados para crianças. Além disso, existem muito poucos limites - assim como o Maker Faire, qualquer coisa que seja legal é um jogo justo.

(Obrigado ao Tony DeRose, da Pixar, pelo artigo sobre o programa, do qual eu tomei emprestado liberalmente.)

Ação

Deixar Um Comentário