Jeffrey Cross
Jeffrey Cross

15 Soluções Incríveis da Hackathon de Acessibilidade da TOM

O Tikkun Olam Makers se reuniu de 21 a 22 de abril no Brooklyn Navy Yards para uma acessibilidade em Makeathon. Os resultados falam por si.

Rampa leve e portátil para ambientes urbanos

Desafio:

Rachel é uma conhecedora de necessidades que usa uma scooter para mobilidade em Manhattan. O desafio que ela apresentou para a equipe foi criar uma rampa portátil e leve para alcançar maior acessibilidade em ambientes urbanos.

Solução:

A equipe criou um sistema de rampa leve e dobrável, durável para uso em scooters nas cidades, e compacto o suficiente para viajar como uma bolsa entre as pernas de Rachel. A rampa pesa menos de 10 libras e pode ser usada para subir lancis e armazena com acesso ao degrau da frente. Indivíduos com desafios semelhantes agora têm acesso ao protótipo de Rachel e podem navegar em várias áreas ignoradas pelos planejadores da cidade.


Detector de Explosão de Energia para Comportamento Auto-Indigno

Desafio:

Comportamento auto-agressivo (SIB) é uma preocupação substancial para os conhecedores de necessidades, como Ben, que têm Síndrome de Smith-Magenis. Os pacientes com SMS experimentam acessos de raiva e explosões frequentes que podem resultar em autolesão. O desafio era criar uma solução que pudesse ajudar a identificar, atenuar e intervir em um "estouro de energia" do SIB.

Solução:

A equipe hackeou um smartwatch para fornecer componentes sensoriais essenciais para o Ben, que precisa de conhecimento. O smartwatch pode detectar sinais de desconforto, como aumento da frequência cardíaca, movimentos irregulares e contrações musculares. Em seguida, comunica-se audivelmente com Ben, fazendo perguntas básicas sobre seu status emocional e físico. Ben tem a opção de indicar seu nível emocional deslizando para a esquerda ou para a direita.Se ele precisar de assistência ou não responder dentro de 30 segundos, um alerta será emitido do relógio, notificando uma ajuda do status dele, e iniciará simultaneamente um aplicativo projetado para acalmá-lo.


Tecnologia adaptativa para máquinas de peso

Desafio:

A maioria das máquinas de musculação são projetadas para usuários fisicamente aptos. Nij é um conhecedor de 27 anos de idade, com encefalopatia hipóxico-isquêmica, o que significa que todo o seu lado direito está significativamente enfraquecido. Isso faz com que as máquinas de levantamento de peso sejam difíceis de usar com seu corpo inteiro. Ele também não tem extensão total e não consegue formar um aperto firme. O desafio era criar um dispositivo adaptativo para aparelhos de musculação e equipamentos de ginástica.

Solução:

A equipe "Bioj4ck" criou uma extensão de cotovelo dinâmica que pode ser usada desde o bíceps até a mão, melhorando a atividade muscular e melhorando a amplitude de movimento da Nij, fornecendo suporte para a extensão total do braço. A equipe também projetou uma luva que fortalece seu pulso e estabiliza sua aderência ao usar halteres e barras.


Pontas e gancho do bastão antiderrapante

Desafio:

Renee, de 19 anos, mexe com duas bengalas com pontas de borracha. Eles são extremamente escorregadios em superfícies úmidas - da chuva e da neve ao mármore e ao chão. Além disso, quando ela está sentada em público, suas bengalas precisam ser postas de lado, e guardar as bengalas na posição vertical não é fácil, pois elas geralmente caem. O desafio era desenvolver pontas de cana antiderrapantes e um cabide leve para uso em ambientes públicos.

Solução:

A Equipe ‘Yes We Cane’ criou pontas de cana antiderrapantes com duas soluções de design: a primeira era uma ponta impressa em 3D que simula desenhos de pneu e a segunda é modificada de um pneu de bicicleta que se fixa na ponta da cana para estabilidade em superfícies escorregadias. A equipe abordou o segundo elemento do desafio desenvolvendo um acessório de cana impresso em 3D acessível que usa uma função de clipe para prender objetos como uma cadeira em um restaurante.


Controle remoto de um botão

Desafio:

A Dwight é uma fabricante e fabricante de tetraplégica que se uniu a fabricantes locais para projetar um controle remoto de botão único. O desafio era criar uma alternativa para um controle remoto padrão. Os botões de um controle remoto padrão estão muito próximos para pessoas com mobilidade limitada e a mudança de canais pode ser difícil sem pressionar mais de um botão.

Solução:

A equipe criou um controle remoto ativado por voz que permite que usuários como o Dwight com mobilidade limitada passem pelas funções de TV e luz. O controle remoto também fornece um botão de seleção única e acessível, grande o suficiente para acomodar mobilidade limitada das mãos. O dispositivo da equipe fornece maior independência ao Dwight e o protótipo tem o potencial de controlar dispositivos domésticos adicionais.


Dispositivo portátil e compacto para auxiliar o Need-Knower em pé

Desafio:

Ross, um jovem de 16 anos, tem atrofia muscular espinhal (SMA), um distúrbio neuromuscular progressivo que afeta sua capacidade de caminhar longas distâncias, subir escadas e entrar e sair de carros. Ele também tem dificuldade de se levantar de uma posição sentada, já que se apoiar em uma superfície para se levantar não é suficiente. Isso afeta sua independência na escola quando a aula termina.

Solução:

A equipe "Take a Seat" criou dois protótipos para ajudar Ross a se levantar de uma cadeira: a primeira solução é uma docking station para iPad portátil que funciona como uma plataforma de decolagem discreta para se levantar de uma posição sentada. O segundo é uma base de piso compacta que aceita e trava em uma bengala para fornecer apoio de levantamento de vários ângulos para ajudá-lo a se levantar de uma cadeira.


Soluções de alimentação pediátrica independente e modificada

Desafio:

Ursula é uma jovem conhecedora de nove anos de idade com Paralisia Cerebral Hipotônica e tem dificuldade para se alimentar devido a dificuldades no planejamento motor e problemas orais e motores. Ela é incapaz de abrir a boca o suficiente devido à inflexibilidade da articulação da mandíbula e não consegue movimentar a língua bilateralmente.

Solução:

A equipe desenvolveu protótipos de cutelaria com uma pegada personalizável para um controle mais firme na base e proporcionou a Ursula a capacidade de modificar a posição das extremidades dos talheres para que ela pudesse escolher um ângulo otimizado ao alimentar-se. A equipe também criou um design discreto para os talheres, que imita a aparência de uma varinha mágica.


Carrinho de passeio motorizado elétrico e leve

Desafio:

Cadeiras de rodas elétricas no mercado são pesadas e extremamente caras. Ryan, de seis anos de idade, que tem paralisia cerebral e mobilidade limitada, precisava de um carrinho adaptável que pudesse ser elétrico, leve e fácil de transportar.

Solução:

A equipe criou uma “cadeira de mobilidade divertida” que é acessível, leve, facilmente transportável e operada eletricamente. A equipe motorizou o carrinho de mão, hackeando uma prancha. Ryan controla o carrinho através de um joystick, oferecendo-lhe maior independência e acesso mais fácil em ambientes públicos.


Escada de escalada com um caminhante

Desafio:

Idosos como Roberta, que usam walkers em prédios de apartamentos de vários andares, lutam para subir escadas. O desafio era desenvolver uma modificação leve em um andador que permitisse a ascensão com facilidade.

Solução:

A equipe modificou o andador de Roberta adicionando um pequeno sistema de três rodas ao modelo existente, permitindo que ela subisse facilmente as escadas em seu apartamento no quarto andar. Além disso, a equipe criou uma rolha telescópica para manter a porta aberta para ela. O dispositivo é leve e compacto o suficiente para armazenar em uma bolsa em seu andador.


Brinquedos para crianças deficientes que funcionam por interruptores

Desafio:

Os brinquedos de troca no mercado hoje são limitados em variedade, geralmente caro, e freqüentemente não são duráveis. Muitos não são suficientemente estimulantes para crianças com necessidades especiais que desejam um ambiente normalizado que lhes permita usar os mesmos brinquedos populares que outras crianças. O desafio era criar uma interface sem fio entre o interruptor de uma criança e um brinquedo. Embora existam adaptadores de brinquedo no mercado, eles vêm com fios suspensos que podem quebrar facilmente e são perigosos para as crianças. O dispositivo também precisaria ser fácil para qualquer usuário fisicamente apto a colocar baterias.

Solução:

A necessitada conhecedora da equipe do Hospital Infantil Blythedale trabalhou com sua equipe para criar um dispositivo de dois botões sem fio que ativa as funções on-off de um brinquedo e também pode ativar um dispositivo adicional que aciona os vários recursos de um brinquedo.


Talas de anel personalizáveis

Desafio:

As crianças com deficiência geralmente têm dedos com postura atípica, como as articulações dos dedos que parecem inclinar-se para trás. Quando os dedos são mantidos em melhor alinhamento, as crianças usam melhor as mãos. As talas anelares, que são pequenas órteses plásticas que seguram os dedos para melhorar o alinhamento, estão comercialmente disponíveis, embora os tamanhos de material muitas vezes não se ajustem adequadamente às crianças ou exijam múltiplos encaixes. Talas de prata personalizadas mais fortes também são excessivamente caras. O desafio era desenvolver uma plataforma para projetar e produzir talas de anel acessíveis em tamanhos, cores e formas personalizadas.

Solução:

O Team Ring Bling trabalhou com seus especialistas em necessidades (uma equipe de especialistas do Hospital Infantil Blythedale) para criar uma plataforma digital que permite a personalização dos fisioterapeutas e a impressão 3D de talas dentro de um ambiente hospitalar. Depois de inserir as medidas de um paciente no recém-criado RingBling.org, o terapeuta pode, então, pegar o arquivo com as especificações e a impressão em 3D de talas de anel personalizadas com uma variedade de materiais, cores e desenhos.


Cadeira de apoio personalizável para pré-escolares com deficiência

Desafio:

Muitas crianças com deficiência não têm o controle motor para se sentarem de forma independente. Quando recebem uma cadeira com apoio suficiente, podem usar seus olhos e mãos para aprender e brincar. Os fisioterapeutas do Hospital Infantil de Blythedale desafiaram a equipe a criar uma cadeira pré-escolar personalizável que proporcionasse o melhor suporte postural.

Solução:

A equipe criou uma cadeira pré-escolar leve e móvel para pacientes como a Isla, que fornece suporte postural para o tronco, quadris e cabeça de uma criança com deficiência, e também tem a capacidade de se inclinar no espaço quando a criança precisa se recostar. Esta solução permite que as crianças pequenas se envolvam melhor no jogo, seja na escola ou na vida cotidiana.


Rolha de pressão da cabeça para síndrome de Angelman

Desafio:

A jovem precisa de 11 anos, Ali, tem uma tendência a empurrar a cabeça para trás ao caminhar, o que faz com que tanto Ali quanto seu cuidador atrás dela percam o equilíbrio. Ela também tem a tendência de fazer movimentos erráticos. Isso pode fazer com que ela solte (por exemplo) um copo na mão. O desafio era criar uma unidade de suporte para evitar que Ali empurrasse a cabeça para trás e projetasse um dispositivo para segurar uma xícara.

Solução:

A equipe “Ali’s Angels” trabalhou com a Ovid Therapeutics para criar um sistema de suporte leve e usável para caminhar, que fornece acolchoamento para evitar o movimento da cabeça para trás. A equipe também projetou uma luva que seguraria a mão de Ali usando uma faixa elástica espessa, mas confortável.


Bolsa para cadeira de rodas multiuso

Desafio:

Cadeiras de rodas raramente vêm com bolsas acessíveis. Aqueles que o fazem são frequentemente colocados nas costas, onde não podem ser facilmente alcançados ou precisam de assistência para o acesso. O desafio pediu aos fabricantes que criassem um sistema de sacos implantável que proporcionasse um acesso fácil e independente para Anthony, o conhecedor da necessidade.

Solução:

A equipe criou uma plataforma dobrável projetada para fornecer a Anthony acesso independente à sua tecnologia, medicamentos e muito mais. O dispositivo de assistência está guardado ao lado da cadeira de Anthony e pode ser acessado manualmente para fornecer uma superfície firme e semelhante a uma bandeja. Esses dispositivos também fornecem um local para escrever ou usar um iPad, e sua parte de baixo contém malotes para armazenamento.


Assistente de vestir robótico

Desafio:

Jojo é um conhecedor de 4 anos de idade com Arthrogryposis Multiplex Congenita: ele tem articulações curvas e quantidade mínima de músculo, o que torna muitas das atividades da vida diária muito difíceis. O desafio era criar um dispositivo que permitisse a Jojo se vestir de forma independente.

Solução:

A equipe construiu o Jojo, um assistente mecânico que pode ser acoplado a qualquer cadeira. Ele possui um braço motorizado que mantém a camisa de Jojo aberta e no lugar para que ele possa inserir seus braços, antes de levantar mecanicamente para uma posição que completa o processo de curativo. O dispositivo pode ser modificado para se adaptar a Jojo à medida que ele cresce.

Ação

Deixar Um Comentário